segunda-feira, 26 de março de 2018

Morre a cearense que implantou o Bolsa Família


Foto Edimar Soares

Ana Fonseca foi uma das idealizadoras e a responsável por unificar os programas sociais. Trabalho iniciado por ela mudou o rumo do governo Lula

Morreu neste domingo, 25, a pesquisadora Ana Fonseca, considerada a principal idealizadora e responsável por colocar em prática a unificação de diversos programas sociais que resultaram no Bolsa Família.

Cearense de Fortaleza, Ana Maria Medeiros da Fonseca tornou-se secretária executiva do Bolsa Família em outubro de 2003, logo que o programa foi criado. Permaneceu pouco mais de um ano na função, quando coordenou a unificação dos programas sociais do Governo Federal.


De certa maneira, o trabalho iniciado por Ana Fonseca mudou o rumo do governo Luiz Inácio Lula da Silva (PT). No início do mandato, o carro-chefe das políticas sociais era o Fome Zero, mais uma entre várias políticas sociais pulverizadas. A iniciativa não deslanchou ao longo do primeiro ano de administração, enquanto o presidente enfrentava protestos e se desgastava com a reforma da Previdência que instituiu taxação sobre aposentados e pensionistas do serviço público.


A partir da unificação, os programas sociais ganharam uma marca forte - o Bolsa Família - passaram a ser usados de forma coordenada como não havia ocorrido antes e foram também ampliados a patamar inédito. A popularidade daí decorrente permitiu ao governo Lula o fòlego para atravessar seu primeiro grande escândalo, o caso Waldomiro Diniz, que estourou em 2004. E, sobretudo, o mensalão, em 2005.


A ex-presidente Dilma Rousseff se manifestou pelo Twitter sobre a morte de Fonseca:


Embora de campo político adversário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também homenageou a pesquisadora:




O ex-presidente Lula disse que Ana Fonseca "deixou uma contribuição imensurável para o Brasil ao ajudar tirar milhões de brasileiras e brasileiros da extrema pobreza". E acrescentou: "Tenho muito orgulho de ter trabalhado ao lado de Ana e sei que sua luta pelo fim da desigualdade social seguirá conosco".



Trajetória

Ainda no setor público, Ana Fonseca coordenou o programa de Renda Mínima da Prefeitura de São Paulo, em 2002, na gestão de Marta Suplicy. No começo do governo Dilma Rousseff (PT), em 2011, tornou-se secretária extraordinária do Plano Brasil Sem Miséria. Ana Fonseca formou-se em História pela Unicamp. Fez mestrado em História Social e do Trabalho e doutorado em História Social sobre família e relações de gênero.

Ela era atualmente coordenadora associada do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas (NEPP) da Unicamp. Ela foi ainda Analista de Políticas Sociais da Oficina do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para a América Latina e o Caribe (2005-2006) e analista de Políticas Sociais da Oficina Regional da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO).

Érico Firmo | Via O POVO



0 comentários:

Postar um comentário