sábado, 7 de julho de 2018

Brasil amarga quarta eliminação consecutiva para europeus em Copas

Foto: AFP

A derrota para a Bélgica, que culminou com a eliminação do time de Tite, trouxe à tona um fantasma recente que assombra a Seleção Brasileira. Nas últimas quatro Copas do Mundo, o Brasil foi eliminado por equipes europeias de forma consecutiva.
Nas quartas de final do Mundial de 2006, quando tinha o quadrado mágico formado por Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Adriano e Ronaldo, parou na França, que marcou o gol derradeiro da vitória por 1 a 0 com Thierry Henry, atualmente auxiliar técnico de Roberto Martínez, treinador da seleção belga.
Em 2010, mais uma vez ficou pelo caminho nas quartas. Na ocasião, ganhava da Holanda por 1 a 0, mas uma falha do goleiro Júlio César e um gol de escanteio determinou a virada holandesa, perdendo por 2 a 1. O carrasco foi o meio-campista Wesley Sneijder, dono dos dois tentos europeus.
Na semifinal do Mundial de 2014, veio o fatídico 7 a 1 para a Alemanha. Em um verdadeiro apagão, a equipe comandada por Luiz Felipe Scolari na época tomou cinco gols dos dez minutos aos 28 minutos da primeira etapa. No segundo tempo, a Seleção fez um gol, mas os alemães fizeram mais dois e o maior vexame do Brasil em Copas foi firmado.
Agora, na edição de 2018, a Seleção Brasileira somou a quarta eliminação consecutiva para europeus ao cair para a Bélgica. Depois de tomar dois gols no primeiro tempo, os comandados de Tite até diminuíram, mas não conseguiram empatar antes do apito final do árbitro, que decretou a vitória belga por 2 a 1.
De 2006 para cá, a Seleção Brasileira jogou contra times europeus em Copas 10 vezes, somando apenas três vitórias e dois empates, todas em partidas da primeira fase. No mata-mata, contudo, são quatro derrotas. Além disso, perdeu a decisão do terceiro lugar para a Holanda na Copa de 2014.


Gazeta Esportiva


0 comentários:

Postar um comentário